Artigos

Respire

Exercite pois a virtude de rejeitar todo o mal que vem de fora! Isso é viver como as flores!


Idéias no ar


Vários mestres, em diferentes tempos, ensinaram que nosso corpo se alimenta de tudo o que vem da terra, mas também do que vem do céu. 

E o que vem do céu, segundo eles, não é nenhum segredo que será revelado após anos de meditação. O que vem do céu é simplesmente o ar que respiramos. Mas o oxigênio, alimento que nos abastece diária e democraticamente é desvalorizado. A gente só nota que respira quando tem dificuldade de respirar.....

Numa gripe, por exemplo.........

As filosofias e religiões do oriente compreenderam, há milhares de anos, que nossas emoções interferem diretamente em nossa respiração. Observaram que uma pessoa nervosa e tensa só consegue inspirar o ar até a parte superior do peito. E, respirando somente na parte superior do peito, tende a ficar cada vez mais agitada, agitando também o ritmo das batidas do coração.

Através de exercícios, perceberam que a recíproca também é verdadeira: uma respiração completa, envolvendo abdômen, acalma, serena a mente e, de quebra, alivia o ritmo do coração. Se a gente observa um bebê, nota que a barriga mexe ao respirar. Nós dificultamos a coisa, ficamos de peito ofegante. 

Pra corrigir isso, os orientais desenvolveram técnicas bem simples que melhoram efetivamente o nível de aproveitamento deste alimento altamente democrático.

Estas técnicas não são só reconhecidas pela ciência, como também ensinadas. Psiquiatras e psicólogos do Hospital São Pedro, estimulam os dependentes químicos a resistir aos momentos de "fissura" (uma forte vontade de consumir a droga) com um único remédio: a respiração. O ar deve ser inspirado contando até três e imaginando que tem um nariz na barriga. Ao expirar a pessoa imagina uma vela acesa a sua frente, soltando o ar vagarosamente sem, entretanto, apagar a chama. Este método serve para a "fissura" do cigarro, álcool, cocaína, ou qualquer droga que causa dependência física e psíquica. 

Em poucas palavras a ciência concorda: respirar é um remédio. Mas respirar bem, algo que fazíamos perfeitamente por instinto, quando éramos bebês. É remédio pros nervos, porque acalma. Remédio pro sangue, porque oxigena. Remédio pra cabeça, porque desopila. Aliás, gratuito. Por enquanto. Num suspiro liberamos pesos. Um alívio toma conta do corpo. Por isso, esvaziar totalmente o ar envelhecido dá espaço para uma nova e completa inspiração.

Numa inspiração nos inspiramos. Temos novas idéias. Encontramos soluções a velhos problemas. Alguém expira uma idéia, outro a inspira. É aí que se forma uma rede de comunicação pelo ar que se parece com o momento atual do planeta: quando uma guerra estoura no outro lado do oceano, sentimos o efeito aqui. Imediatamente. Dizem que as informações estão no ar. Fonte inesgotável de idéias. É experimentar pra crer!


Suzana R.Kunz

Jornal NH

Busca

A Cidade de Telos

CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Sathya Sai Baba

Recentes