Inicio
 Quem Somos
 Ano Novo 2016
 Ano Novo 2017
 EMF Balancing Technique®
 EMF - Malha e Profissionais
 EMF 12 Capas do DNA Estilo Fênix
 FASES V a VIII
 Fases IX a XII
 iPhoenix Coração Dourado
 Reflexos
 Som e a EMF
 As Ondas
 O Simbolo Perdido - EMF
 EMF para Crianças
 Crianças Indigo/Cristal
 Crianças - Ativid/Depoimentos
 Ativação da Pineal
 Biosintonia®
 Florais de S.Germain
 Astrologia
 Ativação do Nono Portal 11:11 - Solara
 Atualidades -
 Atualizações/Mensagens
 AVAAZ
 Avatar Sathya Sai Baba 23/11
 Braco
 Cartas de Cristo
 Celia Fenn - Textos
 Celia Fenn II - Textos
 Celia Fenn III - Textos
 Chico Xavier/Emmanuel e Divaldo
 Códigos de Cura
 Corpo
 Codex
 Cromoterapia
 Crop Circles
 Curso em Milagres
 Dalai Lama
 Decretos e Orações
 Deepak Chopra
 Dr Hamer
 Dr Hurtak
 Dr. Joshua David Stone
 Dr Lair Ribeiro
 Dr. Todd Ovokaitys
 Doreen Virtue
 Eckhart Tolle
 Frequencia Índigo
 Festival do Wesak
 Festival de Asala
 Florais de Bach
 Foto Kirlian
 Gregg Braden - Textos
 Grigori Grabovoi
 Grupo de Estudos
 Ho'ponopono
 Kuan Yin
 Kundalini Yoga
 Karen Bishop
 Ki-Reiki Yoga
 Kryon - Textos
 Louise Hay e Ressentimento
 Links para Mensagens
 Matias de Stefano
 Mãe Maria - Textos e Vídeos
 Meditação versus Cérebro
 Miguel - Regente das Milicias Celestes
 Metatron - Textos
 Médicos
 Ouro Coloidal e Prata Coloidal
 Natal
 Osho
 Pagamentos
 Portal 11-11-11 Momento Cósmico
 Portal 12.12.12 Ascensão
 Previsões 2013 e...
 Radiação > danos a saúde
 Ronna Hermann
 Saint Germanin - Natalie 06.2013
 Sri Aurobindo e Aivanhov
 Tachyons
 Sri Prem Baba
 Telefone Celular riscos
 Tobias - Textos
 Vacinas - Pare!
 Variedades - Diversos
 Cursos/Workshops
 Galeria de Vídeos
 Galeria de Fotos
 Artigos
 Links
 Contato

                                                                                              

FESTIVAL DE WESAK

  

 

 

 
O Festival de Wesak - Também conhecido como o Festival da Iluminação é o Festival de Budha, o intermediário entre o Centro Espiritual mais elevado, Shambala, e a hierarquia. Buda personifica a expressão da Sabedoria de Deus, da Luz, é Indicador do Propósito Divino. É o grande Festival do Oriente e um dos mais importantes festivais da Lua Cheia. Este Festival ocorre quando o Sol está no signo de Touro. Wesak é uma festa da libertação do despertar e da transfiguração, a jornada de volta ao lar. Promove uma ponte entre a humanidade e espiritualidade, e o equilíbrio entre o Eu Inferior e Superior.

 

A Lua na Astrologia significa o inconsciente, o porão, como também, nossa ligação com o passado e emoções, quer sejam boas ou ruins. É através do signo lunar que descobrimos como reagimos frente às circunstâncias da vida, emocionalmente. Quando o grande luminar, o Sol, ilumina plenamente a Lua, é um indicativo de um alinhamento livre entre nosso Planeta - o Sol - e o "Centro Solar" a fonte de energia de toda nossa terra, e neste momento podemos iluminar as sombras.

 

Nesta fase de Plenilúnio podemos fazer uma aproximação mais definida com Deus e o Amor, Poder e Sabedoria, centralizados em nosso coração, representados pela chama trina que fica em evidência quando meditamos. É positivo que em toda Lua Cheia, pudéssemos nos alinhar com as forças cósmicas superiores através de nossos Mestres e anjos, como também da hierarquia da grande Fraternidade Branca, a fim de entrarmos em contato com a essência deste evento mensal.

 

O Festival de Wesak ocorrerá este ano no dia 22 de abril – Lua Cheia - às 07:02 no horário de Brasília (Brasil). É neste dia que se deve fazer a meditação. Não é necessário que se faça a meditação no horário exato da entrada da Lua Cheia, no entanto, toda reunião é um compromisso com o Plano Espiritual, e deve ser feita de forma alegre a amorosa e com disciplina e responsabilidade, por isto é bom marcar um horário padrão para a meditação.

 

 
Como Meditar-

Como toda meditação, o importante é colocarmos o coração e aliarmos conhecimentos conforme formos progredindo. Em seguida relaxar e entrar em contato com a respiração de forma consciente. Na meditação da Lua Cheia é aconselhável que o condutor estude com mais profundidade sobre estes rituais. Caso faça sozinho, procure relaxar e captar as energias benéficas do momento consciente, pois vários grupos em todo o mundo estarão vibrando junto a você.

A Grande Invocação deve ser feita em todos os rituais da Lua Cheia. (O condutor da meditação deve falar em voz alta e pausada cada frase, afim de que os membros do grupo repitam. Pode-se utilizar uma sineta para que os participantes saibam quando o condutor falará algo que deve ser repetido).

 

 
"A Grande Invocação"

 
 
 
 
Do ponto de Luz na mente de Deus,
 
 
que flua Luz às mentes dos homens,
 
 
e que a Luz desça à Terra.
 
 
 
Do ponto de Amor no coração de Deus,
 
 
que flua amor ao coração dos homens,
 
 
que Cristo retorne à Terra.
 
 
 
Do centro onde a vontade de Deus é conhecida,
 
 
que o propósito guie as pequenas vontades dos homens,
 
 
propósito que os Mestres conhecem e servem.
 
 
 
Do centro a que chamamos a raça dos homens,
 
 
que se realize o plano de Amor e de Luz
 
 
e feche a porta onde se encontra o mal.
 
 
 
Que a Luz, o Amor e o Poder
 
 
restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra
 
 
hoje e por toda a eternidade. Amém.
 

 
 
Meditação -

Coloque um CD com o mantra OM, ou o condutor deve começar a mantrar para que o grupo repita o OM por 21 vezes seguidas.

 

 
Condutor:

- Entre em contato com seu EU DIVINO, sua Presença EU SOU, mentalize a Chama Trina (ROSA- Representando o AMOR - do lado esquerdo do coração, AMARELO -Representando a Sabedoria - no centro e AZUL- Representando o Poder - do lado direito do coração. Estas cores devem ser mentalizadas entrelaçadas, símbolo em forma de uma Chama).

- Vamos entrar em sintonia com os Mestres Ascensionais e toda a Grande Fraternidade Branca... (deixar passar algum tempo)... Agora entremos em sintonia com a Luz do Cristo e de Buda, senhor do Mundo... (deixar passar um tempo).

- Agora imagine uma ponte dourada, onde subimos até chegarmos em outra dimensão, (faça isto lentamente). Onde faremos uma ligação com o Plano Espiritual.

- Lá chegando, encontramos uma série de seres etéreos conosco: Mestres, anjos, seres que como nós procuram uma sintonia com a luz.

- Agora vemos o Cristo e Buda em frente a um grande cálice de luz, contendo energias cósmicas. E a medida que essas energias convergem para o cálice, elas são distribuídas para toda a humanidade e toda a natureza. (Dar um tempo).

- Sentimos que um raio, dessa luz que transborda do cálice, vem até nós e nesse momento. Sentimos que a luz cósmica que vem da mente do Cristo e de Buda processam em nós uma limpeza em nossos corpos inferiores e físico, eliminando impulsos de natureza destrutiva e obscuros, de dentro de nosso corpo etérico, emoções, encantamentos negativos e repressões do nosso corpo astral, padrões mentais negativos e limitativos, além dos pensamentos desordenados de nosso corpo mental.

- Feito isso, permanecemos na luz do nosso conhecimento espiritual.

- Irradiemos, junto ao cálice sagrado, amor, compaixão, fraternidade a todo Planeta. E vemos esta luz dirigindo-se em todos os cantos do Planeta, pessoas, animais e natureza. Vemos a Luz da Paz e harmonia chegar em todos os dirigentes de todas as nações.

O Condutor deve falar depois:

- A Meditação, semente do mês - Transformar desejos em aspirações (pode-se, aqui, conforme os estudos forem progredindo, de acordo com as luas, encontrar o ponto de equilíbrio delas e tornar um atributo em meditação semente).

- Meditemos sobre nossos desejos e procuremos, durante 1 mês, transformá-los em aspirações.

- Procuremos identificar desejos de aspirações. O que é um querer compulsivo de uma aspiração positiva.

OM (repetir o OM uma vez)

E na seqüência repetir a GRANDE INVOCAÇÃO

 

 
(Esta meditação pode variar de acordo com o condutor)

 

Meditação adaptada do Livro "Sinfonia do Zodíaco" - por Serena Salgado.

  

 
CONTEMPLE O FESTIVAL DE WESAK NO YOUTUBE:

 

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=Woa8mmUiWE0

 

 

Festivais da Lua Cheia 

 

O Zodíaco representa um sistema de referencia cósmico, o qual nos coloca em contato com as energias de cada signo. Essas forças brotam continuamente, trazendo a pura Energia Cósmica. Todos temos essas doze energias representadas em nossos mapas astrológicos, mas a cada mês, especialmente na ocasião da Lua Cheia, essas qualidades fluem em maior quantidade para a Terra e para a Humanidade, estimulando toda a vida no planeta. Para as antigas tradições, na Lua Cheia ocorre uma transmissão de energia do plano espiritual para a humanidade, que apresenta um efeito especial no nosso desenvolvimento, de acordo com o signo do Zodíaco no qual se situa o Sol na época. 

Segundo Alice Bailey, as meditações da Lua Cheia deverão ocupar um lugar especial na nova religião do mundo. Segundo seus escritos transmitidos pelos Mestres da Sabedoria, devemos realizar cerimônias ritualísticas nestas ocasiões, buscando a harmonização da humanidade.

 

Durante este ano temos três grandes festivais que ocorrerão em meses sucessivos. São eles:

 

- o Festival da Páscoa, em abril 

- o Festival de Wesak, em maio

- o Festival da Boa Vontade em junho

 

No seu livro "A Manifestação da Hierarquia Espiritual", Alice Bailey assevera que esses três grandes festivais, concentrados em três meses consecutivos, acarretam um esforço e uma atividade espiritual prolongada, com o poder de afetar o restante do ano. E cada um deles tem um significado próprio:

 

O FESTIVAL DA PÁSCOA: esta é a festa do Cristo Vivo, do Mestre de todos os homens e do Chefe da Hierarquia Espiritual. Nesse dia se enfatizará a natureza do Amor Divino. Esta festa é sempre determinada pela data da primeira Lua Cheia da Primavera (Hemisfério Norte): é a grande festa cristã do Ocidente

 

O FESTIVAL DE WESAK: esta é a festa de Buda, a expressão da Sabedoria de Deus, a Personificação da Luz e Proclamador dos Propósitos Divinos. Esse festival ocorre na Lua Cheia de maio, que na Índia, Nepal e Ceilão e chamado de Wesak. É o grande Festival do Oriente.

 

O FESTIVAL DA BOA VONTADE: esta é a festa do Espírito de Humanidade, que anseia por Deus e tenta estar em harmonia com a Vontade Divina; ela é dedicada à expressão das relações humanas verdadeiras. A data deste festival será fixada na Lua Cheia de junho. Trata-se de um dia onde é reconhecida a natureza espiritual e divina da Humanidade. Tempo virá em que todos os três Festivais serão realizados simultaneamente em todo o mundo e por meio deles será alcançada uma unicidade espiritual.

 

As luas cheias restantes não desfrutam da mesma magnitude, mas também têm a sua importância espiritual, pois estabelecem os Atributos Divinos na consciência do homem, enquanto que os festivais maiores estabelecem os três Aspectos Divinos.

 

Podemos nos sintonizar com esses momentos especiais através da meditação ou de rituais apropriados. Para facilitar, colocamos em seguida a tônica de cada meditação nas três principais Luas Cheias:

 

Festival da Páscoa – Ressurreição e Recomeço;

 

Festival de Wesak – Iluminação e Doação;

 

Festival da Boa Vontade – Amor e União.

 

Nos outros plenilúnios, devemos seguir o pensamento-semente de cada signo envolvido como tema para a meditação.

 

Entre em sintonia com essa vibração em sua casa. 

 

Namaste

 

Silvia  Fleury

 

11  98429 7035


http://www.youtube.com/watch?v=8zFosYH61zQ

Veja mais neste site.

 

 

 

 

 
A Lua cheia - 10 de Maio 2017 será a Comemoração, faça a sua Sintonia.

 

Na Lua Cheia de Wesak acontece a Bênção Espiritual anual do Grande Buda Dourado. Imagine o plano espiritual que acompanha ao Buda penetrando no planeta Terra, e na sua alma, e cada um de seus átomos, moléculas, células, órgãos, sistemas. A cada dia após a Lua Nova, tudo mais inundado do Buda amoroso, ligado e presente... Desfrute-o, delicia divina! Aaaaaaaaaaa. .. aaaaaaaaa... aaaaaaa  OM

 

Enquanto o Sol transita pelo signo de Touro recebemos a graça de poder ancorar nossa alma e tomar consciência de nossos corpos. Momento de ficar presente e belo

 

Que o Amor e Sabedoria do Buda penetre em cada um agraciando com consciência, domínio de si e sensibilidade para o Belo e as Artes da Vida.

 

A Lenda de Wesak pelo  Mestre Tibetano Djhal Khul, Alice A. Bailey, Torkom Saraydariam, C.W. Leadbeater

 

O Festival se leva a cabo anualmente, no momento do plenilúnio de Touro, quando se transmite à Terra a bendição de Deus por intermédio de Buda e de Seu irmão, o Cristo.

 

Paralelamente ao acontecimento espiritual interno, tem lugar a cerimônia física externa, em um pequeno *vale do Tibet, nos Himalaias*. O sonho, lenda ou acontecimento pode ser descrito como segue: Existe um vale situado ao pé dos Himalaias tibetanos, a uma altura bastante elevada, rodeada por montanhas exceto para o nordeste, onde existe uma estreita abertura. O vale tem forma de uma garrafa com o pescoço para o nordeste, abrindo-se para o sul. No extremo norte próximo da abertura há uma grande rocha plana. Não há árvores, nem arbustos no vale, esta coberto por um tapete de grama dura. As ladeiras das montanhas sim se encontram apinhadas de árvores.

 

No momento  do *plenilúnio da Lua Cheia em Escorpião, Sol em Touro* começam a chegar peregrinos, homens santos e lamas que se aproximam ocupando a parte sul e central, deixando o extremo nordeste relativamente livre. Ali, segundo reza a lenda, se congrega um grupo de Grandes Seres que são na Terra os guardiões do Plano de Deus para nosso planeta e para a humanidade.  Com sua sabedoria, amor e conhecimento forma uma muralha protetora para nossa raça, tratando de nos guiar da escuridão à luz, do irreal ao real, e da morte à imortalidade. Este grupo de conhecedores da divindade, se situa nos confins do vale em círculos concêntricos, de acordo ao grau de desenvolvimento iniciático, preparando-se  para um grande Ato de Serviço.

Diante da rocha olhando para o nordeste, se acham em níveis etéreos, esses Seres denominados "*os  Três Grandes Senhores*": o *Cristo*, que se situa no centro; o Senhor das formas viventes, o *Manú*, que se situa à direita; e o Senhor da Civilização, o Mestre *Rakoczi*, que se acha à sua esquerda. Sobre a rocha descansa um pote de cristal cheio de água.

 

 

 

 

Atrás do grupo de Mestres, Adeptos, iniciados e trabalhadores avançados no Plano de Deus, se situam os discípulos e aspirantes do mundo em seus diversos graus e grupos, os que constituem nesta época o Novo Grupo de Servidores do Mundo. Alguns estão presentes em corpo físico e chegam por meios comuns, outros se acham presentes em seus corpos espirituais e em estado de sonho.

 

*Ao aproximar-se o momento de plenilúnio da Lua Cheia*, se produz uma quietude entre a multidão e todos olham para o nordeste. *A um sinal dado, os Grandes Seres formam três círculos concêntricos e começam a cantar. Quando o cântico se aprofunda e ganha mais ritmo, os Visitantes etéreos se materializam e uma figura gloriosa se torna visível no centro dos círculos. O chamam com vários nomes: Senhor Maytreia, Bodhisattva, Cristo, Senhor da Paz e do  Amor; é o Mestre de todos os Mestres que formam a Hierarquia Planetária para levar a cabo a finalidade divina deste planeta.

 

O *Cristo* aparece vestido com um *manto branco puro*, Seu cabelo lhe cai pelos ombros em ondas. Tem o Cetro do Poder em Sua Mão que lhe deu o Ancião dos Dias para esta ocasião. Nenhum Mestre pode toca-lo salvo o Cristo, O mestre do todos os Mestres. Em cada extremo deste Cetro de Poder há uma grande empunhadura de diamante que irradia uma aura azul e alaranjada de grande beleza. Os Iniciados que estão nos três círculos se põe em frente a Ele no centro e quando Ele se torna mais visível, todos Eles se inclinam e cantam um mantra de saudação e afirmação.

 

Logo estes círculos se convertem em um círculo só e uma cruz, em cujo centro está o Cristo. Aqui novamente o cântico comove os corações e as almas dos presentes e descem mais alegria, paz e bendição sobre a multidão.

O próximo movimento é o triângulo dentro do círculo , em cujo ápice está o Cristo. Está de pé, próximo da pedra e coloca o Cetro de Poder sobre ela. Na pedra o pote de cristal se vê com ornamentos dourados e guirlandas de flores de loto cobrem a rocha e caem dos cantos.


Depois Eles realizam outro movimento que é um triângulo com três ovais que se entrelaçam no centro do mesmo, de onde está o Cristo. O movimento seguinte é uma estrela de seis pontas e logo a estrela do Cristo: o pentagrama, ou estrela de cinco pontas. Aqui o Cristo está no ápice, próximo da pedra; a sua direita o *Manú*, à sua esquerda o *Mestre Rakoczi*, um Grande Ser no centro e outros Grandes nas pontas inferiores da Estrela.

 

*Estão  presentes os regentes de todos os tipos de energia: os Mestres Morya, Koot Humi, o Veneciano, Serapis, Hilarión, Jesus e Iniciados, discípulos e aspirantes espirituais; e aqui o cântico cria grande tensão na multidão e o Cristo tomando o  Cetro de Poder da pedra, o levanta e diz:*

 

"Pronto, Senhor vem..."

Logo, põe novamente seu  Cetro de Poder sobre a pedra durante uns poucos momentos antes da Lua Cheia e os olhos de todos os presentes se voltam para a pedra. A expectativa da multidão aumenta e a tensão é maior e cresce constantemente. Através da multidão parece sentir-se um estímulo ou vibração potente que tem o efeito de despertar as almas dos presentes, fusionando e unificando ao grupo, elevando a todos e realizando-se um grande ato de procura, ansiedade e expectativa espiritual. É a culminação da aspiração do mundo que se acha enfocada neste grupo expectante.

Poucos minutos antes da hora exata, em que tem lugar o Plenilúnio, se divisa ao longe um pequeno ponto de luz no céu, que ao aproximar-se vai se transformando em uma nítida silhueta, que adquire a forma de Buda sentado em sua clássica posição de loto, envolto em Seu manto cor açafrão, banhado em luz e cor. Sua mão direita levantada em bendição. Quando Ele chega a um ponto sobre a pedra,  Cristo entoa A Grande Invocação e todos os presentes caem prostrados tocando a Terra com suas frontes

Esta Grande Invocação cria uma estupenda energia que inunda os corações dos aspirantes, discípulos e Iniciados e chega a Deus. Este é o momento mais sagrado do ano, o momento em que a humanidade  e a divindade fazem contato. No momento exato da Lua Cheia, o Buda passa ao Cristo a energia do primeiro raio - Vontade - que Cristo recebe e muda em Vontade ao Bem.

*Cristo* é o grande celebrante, estende Suas mãos, toma o pote, e o levanta sobre Sua cabeça e logo o põe de novo sobre a pedra. Então, os Mestres cantam hinos sagrados e o Buda, o Grande Iluminado, depois de bendizer a multidão desaparece lentamente no espaço.

Todo o cerimonial da bendição, desde que *Buda* aparece ao longe, até o momento em que desaparece dura só 8 minutos. O sacrifício anual que realiza Buda pela humanidade foi concluído, retornando novamente a esse alto onde trabalha e espera.

O Senhor  *Buda* possui sua especial modalidade de energia que derrama ao benzer ao mundo. Esta benção é maravilhosamente excepcional, por sua autoridade e categoria pois Buda tem acesso aos planos da natureza que não se encontram ao alcance da humanidade e por tanto, pode transmutar  e transferir a nosso plano a energia dos planos superiores. Sem a mediação de Buda, esta energia não seria aproveitável pois sua vibração é muito elevada e não é impossível percebe-la nos planos físicos, emocional e mental. Assim a energia que Buda difunde por sua benção encontra dessa maneira canais por onde circular, levando alento e paz aos capazes de recebê-la.

 

Ano trás ano, Buda regressa para dar a benção e tem lugar a mesma cerimônia. Cada ano Ele e Seu irmão o Cristo trabalham em intima colaboração para benefício espiritual da humanidade. Nestes dos grandes Filhos de Deus se concentraram dois aspectos da Vida Divina. Através de Buda flui a Sabedoria de Deus, através do Cristo o Amor de Deus se manifesta à humanidade, derramando-se sobre ela no caso da Lua Cheia de Touro.

 

Nesse momento são possíveis grandes expansões de consciência. Os discípulos e Iniciados de todas as partes podem ser ajudados e estimulados espiritualmente a fim de permitir ao homem, penetrar conscientemente nos mistérios do Reino de Deus.


Seguindo com a lenda, quando o Buda desaparece, a multidão se põe de pé e Cristo distribui a água benta aos Iniciados e a todos os que estão presentes no vale. Esta maravilhosa "cerimônia da comunhão da água" nos insinua simbolicamente, que a Nova Era está já sobre nós, a de Aquário, a do "Portador de Água". A água magnetizada pela presença de Buda e Cristo, contem certas propriedades curativas. Depois da benção, a multidão se dispersa silenciosamente, encaminhando- se para seus lugares de serviço.

 

Tal é a lenda detrás deste Festival, e também, tal é a realidade se nos atrevemos crê-la se nossas mentes estão suficientemente abertas e nossos corações suficientemente  expectantes, como para reconhecer sua possibilidade. Esta idéia requer que ajustemos algumas de nossas mais caras crenças . Mas, se pode ser captada e compreendida, surgirá em nossa consciência a possibilidade de que a raça seja consciente de sua própria divindade, podendo desenvolver uma Ciência de Aproximação às forças da Vida e Verdades mais profundas que ainda se acham ocultas.

 

Para maiores informações visite a seção de Artigos ou consulte-nos através do
fone (11) 27374327 e  11 98429 7035

 

Voltar ao topo

Voltar a página Inicial Copyrigth© 2009. Desenvolvido por <Pluriweb>